Slow Travel: Guia para viajar consciente | It Balm

Slow Travel: Guia para viajar consciente

Publicado: 31/01/2019

Descubra o Slow Travel para viajar de forma ética e sustentável. 

Sempre que saímos da rotina e da nossa zona de conforto, nos deparamos com algumas situações que não estamos preparados para lidar, cometemos gafes, gastamos mais dinheiro do que o planejado ou ainda, caímos em algumas armadilhas para turistas (quem nunca?). Mas viajando com mais responsabilidade com o meio-ambiente e consciente de suas ações, como sugere o movimento do Slow Travel, você pode evitar muitos desses problemas. "Ai, viajar assim é muito chato", você pode estar pensando, mas a felicidade genuína que irá sentir, o sentimento de pertencimento e as experiências autênticas que irá viver irão te mostrar o contrário. Seja qual for o seu orçamento ou o seu destino, experimente adotar essas atitudes simples na sua próxima viagem e se torne um viajante ético e feliz! 



1. COMPRE DIRETAMENTE COM O PRODUTOR E APOIE NEGÓCIOS LOCAIS

Oreos, Lindt e uma porção de outras guloseimas estão aí pra nos tentar, são conhecidos do paladar e práticos, né? Mas que tal gastar um pouquinho mais tempo olhando outros corredores do mercado, não é apenas mais valioso para a sua experiência de viagem em termos de “viver como um local”, mas também é extremamente importante em termos de colocar o seu dinheiro onde pode ter o maior impacto. Prefira negócios locais e produtos regionais, direcionar a maior parte do seu dinheiro para eles significa que ele vai direto para o bolso daqueles que trabalharam duro. A mesma dica vale para comer fora, tente evitar franquias, como a clássica Starbucks e invista diretamente em uma nova experiência indo a um café local, por exemplo, costuma ser e mais barato e uma experiência única. É incrível quão globalizado o mundo se tornou em algumas áreas e é fácil se sentir em casa em muitos lugares, mas viajar é sobre sair da zona de conforto e explorar novos sabores, lugares e modos de viver, não é? Os turistas vão para o McDonald's, os viajantes éticos vão para o restaurante do bairro, que usa ingredientes frescos e locais.

2. VÁ ALÉM DO ROTEIRO CONVENCIONAL

A grande maioria de nós quer que nosso dinheiro e preciosas férias sejam direcionadas para nos proporcionar experiências divertidas e inesquecíveis, certo? No entanto, dedicar um tempo para aprender e entender mais sobre o lugar que você está visitando é incrivelmente valioso. Antes de sua visita, leia sobre a história do país/cidade, ou a situação sócio-política atual, veja documentários... Quanto mais você lê e aprende sobre o lugar que você está visitando, mais você aprecia quando você está realmente lá e tem um contexto para o que está vendo e experimentando, além de remover barreiras linguísticas ou culturais entre você e os cidadãos locais.

3. EVITE LUGARES ONDE EXISTE EXPLORAÇÃO DE ANIMAIS

No seu feed do Instagram provavelmente já apareceu alguém posando ao lado de um leão na Argentina, ou em cima de um elefante na Índia, ou mesmo no show das baleias no SeaWorld. No mínimo é de se desconfiar, não é? A indústria do turismo é cruel com os animais, capturando-os, engaiolando-os e por muitas vezes mal tratando. Alguns zoológicos realizam trabalhos de conversação de espécies e conscientização, claro, mas infelizmente são a minoria, então se um animal está envolvido, fique atento e investigue como são tratados. Se você tiver a sorte de ver algum animal no seu próprio habitat, respeite seu espaço, mantenha distância segura e não caia na tentação de alimentá-los, nem fotografe com flash.


4. PRIORIZE ATRAÇÕES ÉTICAS

Todos nós já ficamos sonhando com um lugar e quando chegamos lá ficamos decepcionados com a realidade, seja porque a quantidade de turistas é tão grande que não dá para aproveitar nada, seja por que as fotos não traduzem a paisagem real. Dar uma checada no Google para ver o ranking do local e os comentários de quem já foi foi é indicado, mas para ser um viajante mais ético, você tem que ir mais longe, considere reservar passeios que apoiem e beneficiem diretamente a comunidade local e promovam práticas sustentáveis ​​e não exploratórias, se permita descobrir aspectos da cultura do local que não estão na internet.


5. LEVE SEUS PRODUTOS DE BANHO NA NECESSAIRE

Essa dica não serve apenas para os produtos de banho, vale para os cosméticos também, mas o foco aqui é não ter que depender/utilizar amostras grátis disponibilizadas pelos hotéis. Só servem para alguns poucos usos e a embalagem (normalmente de plástico), é logo descartada. Além disso, se você segue alguma técnica como low/no poo, vai ter que preocupar com a composição do shampoo e pode acabar ficando sem lavar o cabelo (não queremos isso, né?). O mesmo vale para o sabonete, que pode conter sulfato e outras substâncias químicas que ao escorrer pelo ralo, causam desequilíbrio na vida marítima e poluem as águas, prefira levar um sabonete natural, que pode até ser usado como shampoo sólido e economizar espaço na necessaire.

6. CUIDADO COM O LIXO GERADO

Se certifique que nunca deixou lixo pra trás e quando possível, recolha o lixo de outras pessoas que encontrar no caminho e dê a ele o devido descarte. Evite comprar garrafas plásticas de água, você pode aproveitar para encher sua garrafa no hotel/hostel antes de sair para os passeios do dia e ainda economizar uma grana. Sempre leve uma ecobag dobrada dentro da sua bolsa ou mochila, assim você não precisa aceitar sacolas plásticas na hora de comprar qualquer souvenir. Manter um kit com talheres de bambu, canudo sustentável e guardanapo de pano também te poupa de gerar uma quantidade considerável de lixo nas refeições.


Vai viajar em breve? Compartilhe com os amigos para que todos estejam na mesma vibe do Slow Travel e se divirtam com responsabilidade e consciência.

Voltar